Fratura no fêmur dos idosos: médico do COP comenta os riscos

Lesões nos meniscos: saiba mais sobre causas, sintomas e tratamento
10 de fevereiro de 2022
Lesão no manguito rotador: conheça os principais sintomas e tratamentos
14 de abril de 2022

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, de 90 anos, foi submetido a uma cirurgia, no dia 13 de março, para correção de uma fratura no fêmur.

Segundo o boletim médico, FHC passa bem e segue em recuperação.

Fratura no fêmur

Fratura no fêmur é comum nos idosos

A fratura no fêmur (osso da coxa) é uma das mais preocupantes nos idosos e ocorre, normalmente, como consequência de uma queda ou acidente doméstico.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, de 2015 a 2020, foram mais de 510 mil internações decorrentes de fratura no fêmur, sendo a maior parte dos casos em indivíduos com mais de 80 anos.

Mas por que idosos são a maioria?

Segundo o Dr. Maurício de Moraes, ortopedista do Centro Ortopédico Paulistano (COP), com a idade avançada, há a perda de força muscular e uma fraqueza natural dos ossos.

Contudo, o risco dessas fraturas também está ligado a doenças preexistentes, como osteoporose, artrose, hérnias de disco e histórico familiar.

As quedas dos idosos decorrem também por outros fatores, como redução na capacidade visual ou auditiva, dificuldade para manter o equilíbrio, redução da mobilidade, uso de medicamentos que interferem na pressão arterial, etc.

Com o aumento ao longo das últimas décadas da expectativa de vida, muitos idosos mantêm uma rotina ativa, ou seja, trabalham, praticam esportes, viajam.

“A mudança de comportamento, porém, não interrompe a ação da natureza e os idosos permanecem mais propensos a acidentes, principalmente as quedas no ambiente doméstico”, explica o médico do COP.

No entanto, a maior incidência de fraturas no fêmur continua sendo entre os sedentários, de acordo com o Ministério da Saúde.

Principais complicações decorrentes da fratura no fêmur

O fêmur é um osso longo, o maior do corpo humano, que exerce uma função importante no suporte da carga e nos movimentos, pois liga a bacia à articulação dos joelhos.

Por conta disso, quando ocorre uma fratura nessa região, o paciente fica impossibilitado de caminhar ou permanecer em pé.

Além de interferir na qualidade da função motora, a imobilidade pode prejudicar a capacidade cardiorrespiratória, aumentando o risco de embolia pulmonar e de mortalidade entre os idosos.

Como evitar quedas que provocam fratura

Como aconteceu com o ex-presidente FHC, o tratamento para a fratura no fêmur normalmente é cirúrgico, podendo variar entre a colocação de pinos e parafusos até a substituição da articulação com o uso de próteses.

Por isso, o melhor remédio é a prevenção, ou seja, manter um estilo de vida saudável e praticar atividade física para evitar a perda muscular.

O Dr. Maurício de Moraes também recomenda avaliações médicas periódicas e auxílio nos casos de limitação da mobilidade.

Já no ambiente doméstico, o médico do COP cita alguns cuidados simples para evitar as quedas:

– usar calçados com sola de borracha;
– evitar andar de meias ou chinelos;
– se necessário, procurar o apoio de bengala ou andador;
– instalar barras de apoio nas paredes do banheiro;
– melhorar as condições de visão;
– utilizar luzes de orientação para auxiliar na locomoção;
– evitar tapete ou qualquer objeto que proporcione tropeços (dê preferência aos tapetes antiderrapantes).

Em casos de dúvidas sobre tratamento das fraturas no fêmur, entre em contato com a equipe do COP.

Fonte: Comunica – Assessoria em Comunicação

//]]>