Salto alto nas festas de fim de ano: saiba como evitar problemas ortopédicos

Saiba mais sobre entesite no quadril
10 de dezembro de 2021
Atividade física pode aumentar efeitos da vacina contra a Covid
7 de janeiro de 2022

Salto alto pode causar problemas ortopédicos

Se você pretende usar salto alto nas festas de fim de ano, confira as dicas do COP para evitar lesões nos pés e outros problemas ortopédicos.

Não há como negar que os saltos altos fecham com chave de ouro aquele look elegante escolhido para um evento especial, como o  Natal e o Ano Novo.

No entanto, ortopedistas alertam para os problemas ortopédicos que esse tipo de calçado pode causar, como dores nas costas, nas pernas e na parte anterior do pé, encurtamento do tendão de Aquiles, etc.

A carga no pé divide-se em 30% do peso na parte anterior e 70% na parte posterior.

“O uso frequente do salto alto sobrecarrega a parte anterior do pé e inverter a relação 30-70 para 70-30, podendo inclusive provocar o desabamento do arco transverso do pé”, explica o Dr. Maurício de Moraes, especialista em Quadril do Centro Ortopédico Paulistano.

O médico acrescenta que a elevação da parte posterior do pé por meio de um pilar fino, em geral, ocasiona instabilidade na marcha e pode levar a lesões dos ligamentos articulares de tornozelos e dos pés, além da piora de joanete (halux valgus) e dedos em martelo.

Além das dores, esses problemas costumam provocar muito desconforto, cansaço e, dependendo do quadro, limitação nas atividades.

Artrose precoce

Estudos indicam que o uso frequente de sapatos de salto alto, principalmente aqueles com mais de sete centímetros de altura, também aumenta o risco de desenvolvimento de artrose precoce nos joelhos.

Isso ocorre porque, ao usar o salto alto, a pessoa altera a maneira natural de pisar no chão, colocando a tensão em excesso nas articulações do membros inferiores, principalmente, nos joelhos.

“O excesso de força pode desencadear a artrose e o desgaste da cartilagem, que não tem cura, pois o tecido cartilaginoso não se regenera”, explica o Dr. Samuel Cho, especialista em Joelho do COP.

O médico acrescenta que, quanto mais alto for o salto, maior é a sobrecarga nos joelhos.

“Em pacientes com sobrepeso, a tensão nos membros inferiores por causa do uso desse tipo de sapato aumenta também”.

Os tratamentos dos problemas ligados ao uso frequente do salto alto dependerão do diagnóstico e do grau da lesão.

Como prevenir problemas ortopédicos decorrentes do uso do salto alto

Os ortopedistas do COP são unânimes em recomendar o uso moderado de sapatos de salto alto, deixando-os apenas para eventos sociais e ocasiões especiais.

“No dia a dia, preferia os sapatos baixos e confortáveis. Se for de salto, recomenda-se que tenha de três a quatro centímetros de altura para evitar quedas e lesões nos pés, tornozelos e joelhos”, orienta o Dr. Maurício.

O salto “anabela” é o que causa menos agressão aos pés, pois não apresenta grande elevação da parte anterior ou posterior do pé.

“O salto menos prejudicial é aquele que traz conforto e não sobrecarrega os músculos, ligamentos, tendões e as articulações”, acrescenta o ortopedista.

Na hora da compra, a recomendação é pesquisar sem pressa e, para saber se é confortável ou não, tente ir no final do dia, quando os pés estão cansados e dê voltas na loja com o calçado.

Para mais informações sobre diagnóstico e tratamento de lesões causadas pelo uso frequente do salto alto, agende uma avaliação com um dos especialistas do COP.

Fonte: Comunica – Assessoria em Comunicação

//]]>