Lesão no tornozelo pode ser tratada com Terapia por Ondas de Choque

Junho verde: mês internacional da conscientização sobre a escoliose
15 de junho de 2021
Inverno intensifica dores de problemas ortopédicos
29 de junho de 2021

Recentemente, um dos astros da NBA, LeBron James, sofreu uma lesão na sindesmose do tornozelo após uma partida disputada entre o Los Angeles Lakers e o Atlanta Hawks.

As lesões desse tipo possuem três graus de classificação, ou seja, I, II e III.

Enquanto o primeiro pode ser tratado de maneira conservadora, apenas com imobilização, o último requer cirurgia.

No caso do LeBron James, foi diagnosticado o grau II, caracterizado por uma instabilidade da articulação tíbio-fistular distal.

“No primeiro momento, o atleta ficou afastado dos jogos para um período de imobilização. Agora, a lesão está sendo tratada com o auxílio da Terapia por Ondas de Choque para regressão de dor e edemas residuais”, explica o Dr. Maurício de Moraes, ortopedista do Centro Ortopédico Paulistano.

A técnica minimamente invasiva consiste na aplicação de ondas de alta energia emitidas por um moderno sistema eletropneumático, capaz de acelerar a evolução de diferentes patologias.

Entre as indicações, destacam-se as doenças degenerativas do ombro, esporão de calcâneo, tendinite de aquiles, fascite plantar, pseudoartrose, bursite, epicondilite de cotovelo, lesão no tornozelo, sem a necessidade de cortes ou anestesias.

O COP oferece a Terapia por Ondas de Choque, com o uso de um equipamento suíço, de última geração, disponível nas instalações da clínica.

Normalmente, a técnica é aplicada com intervalos semanais.

Já os níveis de aplicação dependem do problema apresentado, mas em boa parte dos casos é resolvido em poucas sessões.

Para mais informações sobre a Terapia por Ondas de Choque, agende uma consulta com um dos especialistas do COP.

Fonte: Comunica – Assessoria em Comunicação

//]]>